(problema de) expressão.

terça-feira, novembro 25, 2008

[sabias que]. naquele tempo a tua voz tinha um tom difuso. as palavras eram algo trocistas. como se não fossem suficientemente claras. para o que querias dizer de ti. nos silêncios sempre te ouvi melhor. nos silêncios a língua que não falávamos era nossa. [sabes que]. hoje a tua voz arrisca novos sons. numa língua (tão tua) e noutra (só minha). entre as tuas palavras que entretanto aprendi. e as minhas que agora, cada vez mais, recordas. deixemos as línguas falar no silêncio por nós.

7 comentários:

Marla disse...

Sabias que... gosto mesmo muito da tua forma de escrever? :)
A sério, dou por mim a rever-me em tanta coisa....

Beijinho

Brida disse...

sê bem-vinda, Marla :)
é recíproco, acredita.

beijinho

Rapunzel disse...

tãooooooooooooooooooooooooooooo fofooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo

(o terroristazeco pegou-me o vício!)

Brida disse...

rapunzas.... não abuses...olha que não há pastilhas pra isso...:P

acoldzero disse...

a mim nunca me souberam ler os meus silencios. parece que sempre foram uma linguagem só minha. e com ele, os meus gestos em jeito de desmistificadores acabaram por tomar o papel inverso. e é pena. sou pessoa meio fechada e de poucas palavras. sabia bem quem me soubesse interpretar, em vez de me tentar mudar. mas foram outros tempos... longinquos já. (coment em jeito de desabafo.*)

Brida disse...

g., desabafa/comenta à vontade :)
costumo dizer a um amigo que se queixa de que as palavras para falar sobre algo muito específico andam arredias, que quando ele estiver pronto, elas surgirão. se calhar os teus silêncios ainda não estavam prontos para ser interpretados. aí não há que tentar mudar(-te). não se consegue "ler" algo à força de o transformar noutra coisa. por outro lado a vida encarrega-se de nos ir limando. a pessoa que era há alguns anos (revejo-me no teu "meio fechada e de poucas palavras") não é a mesma que (me) vejo hoje. as palavras podem ser as mesmas, mas a forma de as transmitir (ou o facto de finalmente as transmitir!) vai sendo diferente. os silêncios também.(agora o desabafo foi meu :))*

acoldzero disse...

:) suspiros e desabafos. obrigado pelos teus. deixam sempre leveza e tranquilidade. * (e refiro-me aos posts tambem).