silence. 2009

sexta-feira, dezembro 26, 2008

há pouco tempo comentava noutro blog em que se perguntava "o que fazer das canções que associamos a determinados momentos" que as poderíamos (quando ouvi-las já não trouxesse qualquer tipo de sentimento incómodo) juntá-las à grande banda sonora que todos temos, de certeza, na nossa vida. depois de responder isso, reparei em como tinha "recuperado" para a minha playlist dessa altura dois temas que já não ouvia há alguns anos, mas que pareciam fazer algum sentido naquele momento.

[ I'm here, I'm real, it's true, I do exist ]

[ dann schenk mir diesen Tanz ]

a estes dois veio juntar-se um terceiro, que acaba por complementar o meu mood actual...

[ sin miedo, las manos se nos llenam de deseos]

fica aqui este post [e estas músicas, é clicar na imagem :)] a desejarem-vos, a todos, um 2009 como quiserem. mas definitivamente bom. é um conceito à partida estranho. deixar músicas de décadas passadas numa mensagem de ano novo. mas estas são um bocadinho de mim. e aos amigos costuma-se dar aquilo que consideramos mais valioso. de e para nós. não interpretem uma possível ausência até ao início de 2009 como desinteresse. estarei simplesmente a viver. offline. acompanhada por estas músicas. e outras que entretanto possam surgir ou não. às vezes também é preciso.

5 comentários:

diana disse...

Que seria da vida sem música?

MS disse...

bom pricipio!

Mrs.Dalloway disse...

Também vasculhei o baú das Músicas (propositadamente com maíuscula) , para entrar em 2009 a conseguir ouvir tudo o que evitei em 2008, por ser demasiado dificil, como se tirasses a crosta de uma ferida mal sarada.
A graça está na ausência de estranheza com que as ouvi, passado tanto tempo.
Agora estão "em repeat" no meu carro. Já não me custa nada.
Ou custa? E eu gosto?

Um Feliz 2009. *

Rapunzel disse...

Ia jurar que já tinha comentado este post, mas já te disse N vezes!!! Um óptimo ano Amiga! **

Brida disse...

@diana
muito mais monótona seria :)

@MS
foi :) espero que para ti também.

@Mrs. Dalloway
há feridas que mesmo depois de saradas deixam uma cicatriz, uma marca por mais pequena que seja. com o tempo já não as estranhas, passam a fazer parte de ti, como os cortes que fazes sem querer num dedo a cortar legumes, ou uma queimadura pequenina no pulso de um pingo de óleo que saltou da frigideira. fazem parte de ti. custe/gostes ou não :) mas fazem mesmo parte de ti.

@Rapunzel
é de dormires pouco ;)***

Bom Ano a todas :)